Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas, Café & Sorrisos

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Conversas, Café & Sorrisos

08
Jun17

Pérolas à Lá Pikiko #9


Ana Rita 🌼

Esta cena passou-se no fim de semana e proporcionou uma gargalhada geral mesmo no final da noite.

 

Sábado passado convidei os meus pais para jantar e aproveitando que estavam lá decidi fazer uma sessão de cinema - A Bela e o Monstro foi o filme escolhido.

Ainda o filme estava a dar o genérico já o meu pai estava a ressonar.

Bem lá vimos o filme - ADOREI é maravilhoso - e com o meu Pikiko de pedra e cal agarrado à avozinha.

Quando o filme acabou disse à minha mãe para deixar o meu pai descansado a dormir na nossa casa que amanhã eles vinham mesmo novamente almoçar não havia necessidade de o estar a fazer ainda pegar no carro e conduzir e tal.

Convidei-a para ficar mas como não tinha aprovisionado medicamentos para a noite/dia seguinte tinha mesmo que ir para casa.

Quando ela se começou a encaminhar para a porta começou a birra:

 

Pikiko - Eu quero ir com a avóóóóó - com olhos de sofredor

Eu - Filho a avó vai para casa dormir

Avó C - Pois é filho a avó vai dormir e amanhã volta para brincar comtigo

Pikiko - Não levas o avô? - ele estava um pouco confuso 

Avó C - Não o avô fica a dormir aqui que está cansadinho.

Pikiko - Mas eu tenho que ir contigo...quem é que te vai proteger?! - muito convicto do que estava a dizer.

 

Já ninguém lhe conseguiu responder mais ....

E6Avh35.gif

 

Pikiko NINJA! 

 

 

 

 

 

28
Mar17

Eu, o Filho e os Desenhos Animados


Ana Rita 🌼

mafalda-veo-veo.jpg

 

 É isso mesmo, relativamente a desenhos animados vejo um futuro a modos que negro. 

 

Até hoje tenho conseguido fazer o filtro aos desenhos animados que o pequerruxo vê, a box de gravação é uma imensa ajuda para isso porque vou colocando sempre estes ou aqueles bonecos que eu acho mais adequados para a idade dele.

Mas confesso que acho que isso num futuro próximo se vai finar porque ele já pergunta pelo Spider Man e pelos Transformers - devem ser os bonecos que os amiguinhos vêem e falam.

Sou franca, vou tentar que ele não veja esse lixo animado tanto quanto me for possível até porque a violência é uma constante e quanto mais se conseguir adiar melhor.

Debruço-me sobre as manhãs dos principais canais nacionais no fim-de-semana e confesso que me assusta pois a violência é uma constante. 

Já na altura em que eu via desenhos havia o Dragon Ball e os Power Rangers que eram meio rudimentares mas que espelhavam e espalhavam violência.

Acho que os canais televisivos ao invés de ajudarem pais e educadores fomentam a violência mesmo em tenra idade (e isto já não é de hoje), numa sociedade em que cada vez mais se fala de  bulling e suicídio infantil penso que está na altura de também as cadeias de televisão colocarem a mão na consciência e mudarem o tipo de animação. No fundo nós somos um produto daquilo que vemos e dos valores que nos são passados pelos pais e educadores, se nos é injectada pelos olhos a dentro violência ainda em pequenos (altura em que somos mais propensos a assimilar conhecimentos e informações) numa sociedade em que os pais cada vez tem menos tempo e por isso tentam ocupar e acalmar as crianças com televisão,telemóveis ou tablets o que vai ser do futuro das nossas crianças e por conseguinte do mundo?

 

 

 

09
Fev17

Pérolas à lá Pikiko #6


Ana Rita 🌼

Há muito tempo que não vinha aqui contar-vos as peripécias do meu Pikiko.

Ontem chegámos a casa e como é costume o sô doutor Pikiko foi para a casa de banho e eu e o esponjo fomos ao quarto vestir os modelitos de andar por casa - sim a bela da calcinha de treino e o camisolão polar (muuuuito sexy).

Ora vinha o cachopo a caminho do quarto - já a gritar mamãããããã papáááááá - eu e o esponjo para lhe pregar-mos uma partida fingi-mos que estávamos a dormir.

Ora o piolho quando entrou no quarto começou a ver ausência de movimentos e toca de andar de roda de nós aos berros - ACOOOORDEM ACOOOORDEM - após algumas tentativas sem sucesso...vai que o cachopo se senta na ponta da cama com um ar muito consternado e uma voz muito triste:

drama-king.jpg

 

- Tadinhos do pai e mãe não acordem, o que é que eu vou fizi? Agora não tenho papá e mamã estou tão infeliz... 

OMG a sérrrrio??? Tenho um Drama King  em casa... ora uma gaja não se consegue controlar a ouvir uma coisa destas 

19
Jul16

Eu, o Facebook e o meu filho


Ana Rita 🌼

eradicate-annoying-baby-pictures-from-your-faceboo

 Ontem alguém me perguntava:

Porque é que não metes fotos do teu filho no Facebook? O menino já é grande e uma pessoa gostava de o ver e não pode porque não há fotos nem no teu face nem no do P

Ao que eu politicamente respondi:

Isso é uma decisão minha e do P

 

A decisão de pôr fotos dos filhos no Facebook vai de cada um, eu e o meu esponjo desde o inicio que sempre pedimos a todos os amigos e familiares que caso tirassem fotos que quisessem colocar nas redes sociais respeitassem a nossa decisão de não queres expôr o nosso Pikiko e nos avisassem para que o menino não estivesse na foto.

Há quem compreenda e aceite, há quem ache que é piquinhice ou excesso de zelo.

Ora vejamos por esta perspectiva:

  • O filho é nosso - assim como a decisão de colocar fotos dele ou não nas redes sociais
  • Quem o quiser ver - a porta da minha casa está aberta sempre que alguém nos quiser visitar
  • A idade - lá está, é relativo, eu acho que com 2 anos e 11 meses ainda não está na altura
  • Mais vale previnir - porque não tenho aquela teoria de "só acontece aos outros" e nas redes socias consta zona onde se vive, as fotos ao pé de casa, os carros, e rápidamente se chega às pessoas (neste caso às crianças) - basta quererem!
  • Ele não precisa de exposição publica - terá tempo para isso quando for mais velho
  • Na impossibilidade de irem a casa - tenho por hábito mandar as fotos por mms e pedir encarecidamente para não colocarem na net.
  • Quem manda são os pais - e as restantes pessoas devem respeitar e aceitar a nossa decisão.

 

 

12
Jul16

A importância da leitura na vida das crianças


Ana Rita 🌼

ler-para-crianca.jpg

O hábito da leitura é algo que devemos cultivar nos nossos filhos desde tenra idade.

É extremamente importante que as crianças ganhem gosto pela leitura não só por uma questão cultural mas também porque esse gosto estimula a uma maior capacidade cognitiva, fonética e para uma maior alfabetização.

Hoje em dia já existem livros fáceis de ler e focalizados para cada etapa da vida das crianças.

Como adepta convicta e amante da leitura tento que o meu filho se interesse nos livros que estão focalizados para a etapa em que se insere neste momento – estamos a falar em livros que estimulam visual e tactilmente.

É importante que as crianças assumam os livros como brinquedos e que aprendam que dali só vêm coisas boas. Por exemplo, durante a leitura da história os pais podem assumir diferentes vozes para cada personagem assim a criança vai aprender a distinguir quem é o rei, a princesa, a bruxa, etc.

Outra das coisas positivas e que pode ser uma atividade que desenvolve o intelecto e a memória da criança é pedir para que a criança desenhe um personagem ou uma das cenas da história que mais gosta e assim ficar a perceber como é que a criança “vê” com aos olhos da imaginação.

 Noutro determinado momento (mais para crianças a partir os 5/6 anos) pode tornar-se uma verdadeira aventura reinventar novos finais para as histórias que eles tão bem conhecem.

Na fase mais complicada da adolescência a melhor maneira de cativar é mesmo escolher livros que abordem temas que cativam a atenção da criança – temas como a droga, as amizades, o amor e o início da vida sexual - para que assim esta se entusiasme e comece a apreciar a leitura.

Numa sociedade em que o hábito da leitura está a ser progressivamente substituído pelas novas tecnologias, cabe-nos a nós pais e educadores contrariar essa tendência.

É essencial que as nossas crianças e os nossos jovens vejam na leitura algo de positivo que só lhes trará benefícios para o futuro.

 

 

 

06
Jul16

Os estudantes de hoje


Ana Rita 🌼

EvasãoEscolar.jpg

 Em conversa aqui no trabalho com as minhas colegas com filhos estudantes uma delas comentava que o filho fazia os trabalhos de grupo via Skype com os colegas.

 No meu tempo era uma alegria cada vez que tínhamos um trabalho de grupo. Juntava-se tudo na casa de alguém era uma ganda galhofa, havia sempre lanche e fazia-mos tudo menos o trabalho de grupo...esse era feito em casa e no fim juntávamos tudo.

 E ainda em conversa, perguntando a algumas delas se deixavam os filhos irem para casa dos colegas fazer trabalhos de grupo, maioritariamente a resposta é NÃO.

 Será que ninguém se lembra o quão felizes eramos nos anos 80/90 (a altura da nossa infância) quando íamos fazer "trabalhos de grupo"?

 Preferem que as crianças fiquem em casa agarradas aos computadores horas e horas a fio em vez de estarem a confraternizar e a criar laços uns com os outros? 

 Será que estamos a esquecer-nos de educar os nossos filhos para serem sociais e sociáveis?

 Entristece-me que até o espirito da escola esteja a desaparecer lentamente, as nossas crianças são cada vez mais "maquinas" e menos isso mesmo crianças.

 Os filhos já passam tantas horas, dias, meses, anos a correr entre as cresces e as escolas, os ATL e os centros de estudo e poucas ou nenhumas oportunidades têm para sair, andar ao ar livre.

 Passam cada vez mais tempo agarrados a tablets e telefones e cada vez menos tempo a brincar na rua. Culpa do stress, do trabalho e da falta de tempo dos pais.

 A minha dúvida: Porque é que nós, as crianças de ontem que andámos tão livres, estamos a enjaular as crianças de amanhã?

 

 

 

06
Jul16

Os estudantes de hoje


Ana Rita 🌼

EvasãoEscolar.jpg

 Em conversa aqui no trabalho com as minhas colegas com filhos estudantes uma delas comentava que o filho fazia os trabalhos de grupo via Skype com os colegas.

 No meu tempo era uma alegria cada vez que tínhamos um trabalho de grupo. Juntava-se tudo na casa de alguém era uma ganda galhofa, havia sempre lanche e fazia-mos tudo menos o trabalho de grupo...esse era feito em casa e no fim juntávamos tudo.

 E ainda em conversa, perguntando a algumas delas se deixavam os filhos irem para casa dos colegas fazer trabalhos de grupo, maioritariamente a resposta é NÃO.

 Será que ninguém se lembra o quão felizes eramos nos anos 80/90 (a altura da nossa infância) quando íamos fazer "trabalhos de grupo"?

 Preferem que as crianças fiquem em casa agarradas aos computadores horas e horas a fio em vez de estarem a confraternizar e a criar laços uns com os outros? 

 Será que estamos a esquecer-nos de educar os nossos filhos para serem sociais e sociáveis?

 Entristece-me que até o espirito da escola esteja a desaparecer lentamente, as nossas crianças são cada vez mais "maquinas" e menos isso mesmo crianças.

 Os filhos já passam tantas horas, dias, meses, anos a correr entre as cresces e as escolas, os ATL e os centros de estudo e poucas ou nenhumas oportunidades têm para sair, andar ao ar livre.

 Passam cada vez mais tempo agarrados a tablets e telefones e cada vez menos tempo a brincar na rua. Culpa do stress, do trabalho e da falta de tempo dos pais.

 A minha dúvida: Porque é que nós, as crianças de ontem que andámos tão livres, estamos a enjaular as crianças de amanhã?

 

 

 

23
Jun16

Ainda sobre as piquinhices...


Ana Rita 🌼

Peguei no mote da nossa Fatia  - que por sua vez se deparou com o post da Rosa Affair sobre as esquesitices da filha e olha decidi darvos a conhecer um pouco das piquinhices do meu pequeno principe.

 

Ter as mãos sujas - impensável!! - no auge dos seus quase 3 anos não pode sentir nem uma migalha na mão - se o querem ver a correr em direção à mãe ou ao pai a pedir "limpa mãe/pai limpa".

 

Caiu uma pinga de sopa na mesa - Pára TUDO! - é impensável para a minha criança continuar a sua preciosa refeição se a mesa tiver uma gota de sopa ou um bago de arroz... aprendemos a conviver com o "pano amarelo" sempre em cima da mesa.

 

Falta um boneco na cama - Ninguém dorme - até que se descubra onde é que está o boneco que falta...acreditem se quiserem, passa a noite toda cheio de pesadelos e farta-se de acordar.

 

A higiéne diária - Sagrada - sempre pela mesma ordem, banho - vestir - secar o cabelo - lavar os dentes e fazer o "bigode e a baba" - sim todos os dias tem que fazer o bigode e a barba com a máquina do pai.

 

A xuxa - esse vicio já passou - mas uma vez tive que sair de casa à noite para ir a casa da ama SÓ porque a xuxa de dormir tinha lá ficado - era isso ou choradeira a noite toda - a noite é sagrada.

 

Dormir - Toda a noite desde que nasceu - conto pelos dedos das mãos as vezes que ele me deu uma má noite - neste campo fui abençoada. 

 

Sapatos - quanto maior melhor - ADORAAAA calçar sapatos todos...de toda a gente. Não posso entrar numa saparatia que aquilo é um vê se te avias.

 

Vestir - o meu filme de terror - é um stress...assim que se apanha descascado é vê-lo a pirar-se muito rápido e a correr pela casa com tudo ao léu. Detesta vestir-se e no inverno é sempre uma batalha campal ter que vestir aquela roupa toda.

 

A fralda - está dificil - a nossa próxima batalha é fazer com que o nosso preguiçoso largue definitivamente as fraldinhas.

 

Pois é e são estas algumas (poucas) das minhas aventuras diárias com o pequeno príncipe.

tumblr_mk8xkmHMyF1rv8zwoo1_500_large.jpg

 

 

25
Mai16

"Toma, eu empresto-te..." - um acto de generosidade


Ana Rita 🌼

Esta imagem está a dar que falartransferir.jpg

 Santiago Fretes nasceu com uma mal formação genética que levou à amputação parcial da perna direita.

 Esta fotografia foi tirada pela mãe de Santiago durante um jogo de football no qual o menino emprestou uma das suas muletas para que uma outra criança pudesse ver o jogo por cima de um muro de 1,60cm.

 Santiago disse ao menino:

"Toma te presto una así vemos los dos! Este tipo de cosas sólo pasan en el cilindro!" - frase que acompanhava a foto na publicação que a mãe fez no Twitter.

 Assim se vê que muitas vezes quem menos possui maior capacidade têm de repartir.

Noticia integral aqui!