Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas, Café & Sorrisos

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Conversas, Café & Sorrisos

07
Jan16

Mia ... Espera por mim (Parte I)


Ana Rita 🌼

Olá, sou a Mia, uma meia labrador meia outra raça que ninguém sabe qual.

Tenho 5 anos e 5 meses e vou contar-vos a minha história.

Nasci no dia 09 de Agosto de 2011 e estive até aos 2 meses com a minha mamã.

Até que uma senhora muito simpática me pegou ao colo e me levou para um sitio que eu não conhecia. Começou a olhar para mim e a dizer numa língua muito estranha “Mia” e fazia uns gestos para eu ir para ao pé dela. Assim foi nos primeiros dias.

Até que eu descobri que aquelas coisas que ela deixava espalhadas pela casa, que eu achava serem brinquedos, e roía eram na verdade coisas importantes para ela.

Ela começou a dar-me palmadas e a gritar comigo muito alto coisas que eu não percebia.

Houve alturas em que ela se foi embora e eu chamei e chamei por ela, um tempo que me parecia infinito. Depois dava-me vontade de fazer xixi e cocó … ia ao meu cantinho e ali fazia as minhas necessidades. Só parava mesmo de chamá-la durante esses bocadinhos.

Ela, quando finalmente chegava, eu ia recebe-la à porta tão feliz mas ela, fazia um ar zangado e voltava a bater-me e a gritar numa língua que eu continuava a não perceber.

Até que um dia ela meteu-me dentro de um carro e levou-me com ela, levou também os meus brinquedos, a minha comida e todas as minhas coisas. Eu estava tão feliz!

Ela parou o caro num sítio que eu não conhecia e não saiu até que outro carro parou ao nosso lado.

Saíram de lá de dentro dumas pessoas, eu não conhecia o cheiro delas, nunca as tinha visto.

A minha dona saiu do carro e esteve um bocadinho a falar com elas, estava tão excitada com o passeio que ia-mos dar que nem me apercebi que lentamente ela entregou todas as minhas coisas àquelas duas pessoas, que as meteram dentro do carro.

Finalmente, ela abriu o porta bagagens e eu pude sair. As duas pessoas fizeram-me festas, falaram comigo, falaram com a minha dona, ela entrou dentro do carro e eles meteram-me no carro deles.

Estava confusa, mas…mas… para onde foi a minha dona?

Onde é que estas pessoas me levam?

Chamei por ela mas ela já não estava lá, e aquelas duas pessoas faziam-me festinhas e mandavam-me calar.

Será que elas não estavam a ver que a minha dona estava a ir-se embora?

Que eu me sentia em pânico? Que não conhecia o cheiro delas e que não as conhecia?

(Fim da PARTE I)

 

2016-01-07_13.05.15.jpg

 (aqui estou em em pose no primeiro dia em casa dos meus donos)