Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas, Café & Sorrisos

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Conversas, Café & Sorrisos

19
Mai16

Murmúrios de Prazer 6


Ana Rita 🌼

- Amo-te! – Disse ele ofegante.

Os seus corpos ainda se encontravam unidos e, nem um nem outro tinham a mínima vontade de acabar com aquele momento.

Clara e Nuno permaneceram por mais alguns momentos naquela posição o peito dele contra as costas dela, os braços dele agora mais descontraídos agarravam o corpo suave e leitoso dela.

Até que lentamente Nuno saiu de dentro dela e deixou-se cair meio deitado meio sentado no sofá. Também Clara se deixou cair ficando frente a frente com ele.

As suas faces estavam rubras e a expressão de satisfação eram visíveis.

Foi Clara que começou a falar:

- Nuno, precisamos mesmo de falar. – Disse Clara calmamente.

- Eu sei. Mereces uma explicação e eu vou dar-ta. Não devia ter-te pedido desculpa foi uma infantilidade e uma gafe tremenda. Mas quando estou perto de ti não consigo raciocinar decentemente.

- Devo interpretar isso de uma forma positiva certo? – Disse Clara endireitando-se e colocando o corpo numa posição defensiva.

- Claro que sim. O mais positivo que pode haver. Eu sei o que sinto por ti e não quero deixar-te escapar. Quero fazer as coisas bem. Tu mereces – disse ele colocando a mão na perna dela.

-Nuno, tu és casado. A tua mulher é minha superior direta. Sabes o que este nosso envolvimento pode significar para mim, para nós? Temos que pensar e ser racionais, acima de tudo o importante é nenhum de nós sair magoado.

- Clara, tu amas-me? – Perguntou Nuno expectante.

Clara fez uma pausa, sabia que a resposta que lhe batia na cabeça ia ter um impacto brutal nas vidas de três pessoas. Valeria a pena deitar uma carreira a perder por causa de um amor quase impossível?

Ela sabia que aquilo que tinham feito não tinha retorno mas, poderiam ficar por ali e seguir novamente cada um o seu rumo?

Os sentimentos que a invadiam eram tão fortes que a deixavam tonta.

E aquela pergunta era a que ela mais temia. Ela sabia a resposta mas a que preço?

(Continua)

19087718_u7vJ3.jpeg

 

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.