Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas, Café & Sorrisos

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Atreve-te a ser tu mesmo todos os dias!

Conversas, Café & Sorrisos

23
Ago17

Que o jardim público não incomode o cocó (do cão)


Ana Rita 🌼

Olá olá ontem passou-se uma coisa que me incomoda profundamente passo a explicar.

Ontem quando vinha a caminho de casa - que é mais ou menos 1km - fiz o caminho como sempre pelo interior do parque urbano da minha cidade.

 

Vinham duas senhoras na casa dos 60 anos com um cão pequeno/médio porte solto que lá vinha na sua vidinha na procura do sítio ideal para fazer o seu cocózinho.

O cão lá encontrou o pupps spot e toca de fazer o serviço (na relva onde brincam algumas dezenas de crianças todos os dias) e as senhoras param, olham, rodam nos calcanhares e continuam em paço mais lento sempre em amena cavaqueira caminho fora.

Eu pensei cá para mim "devo de estar a ver mal" e abrandei o passo para ver o que elas faziam. Quando se aperceberam que o bobby já tinha acabado chamaram o cão e continuaram.

Na boa, o cagalhoto ficou ali espetado na relva (aquela das crianças mas isso não interessa nada).

 

Eu: Olhe minha senhora...

(ignoraram-me)

 

Eu: Olhe minha senhora deixou cair uma coisa.

Pararam as duas olharam primeiro para o caminho (aparentemente nada no chão alem de pedras e terra) depois para mim com um ar confuso

 

Eu (de forma audível - haviam várias pessoas a passear no parque): Sim minha senhora, deixou cair o cocó do seu cão ali na relva que também é das crianças.

 

E apontei para  exacto sitio a poucos metros estava o cagalhoto do próprio do bobby da senhora espetado na relva (bem visível).

A senhora como é óbvio começou a procurar aquilo que sabia perfeitamente que não tinha OS SACOS na bolsa - neste momento já haviam várias pessoas a olharem para ela - muito encavacada.

 

Ela: ah não trouxe sacos - vira-se para a outra - tens aí alguma coisa?

A outra senhora respondeu com um aceno que não tinha.

 

Eu abri a minha mala - ando sempre com um saco transparente - e entreguei-lhe o saco e continuei o meu caminho.

(mas sempre a olhar por cima do ombro a ver se ela ía ou não apanhar o cagalhoto... E FOI)

É por estas e por outras que uma pessoa quer passear os cães em paz num parque ou na praia e NÃO PODE porque por uns pagam os outros.

 

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.